Rua do Tarrafeiro

  A Rua do Tarrafeiro foi oficialmente nomeada pelo governo colonial de Macau em Julho de 1869. O termo “tarrafeiro” significa pescador que utiliza uma “tarrafa” (rede de pesca circular, de malha fina, com pesos na periferia e um cabo fino no centro, pelo qual é puxada) muito popular em Macau. Com o tempo e o desenvolvimento social, a Rua do Tarrafeiro acabou por ficar rodeada de urbanizações, em vez da beira-mar com as tradicionais tarrafas.
  O Jardim Luís de Camões situa-se a norte da Rua do Tarrafeiro, sendo um lugar mítico, pois nele terá o grande poeta português, Luís de Camões, composto parte da sua famosa epopeia “Os Lusíadas”, à sombra de uma gruta existente no jardim.
  Adjacente ao Jardim Luís de Camões existe uma imponente mansão de dois pisos, conhecida por Casa Garden, que serviu, em tempos, de sede da Companhia Inglesa das Índias Orientais, até ser adquirida pelo governo, que ali instalou, em diferentes períodos,  os serviços do governo, a Imprensa Oficial e o Museu Luís de Camões. Em 1989, passou a ser propriedade da Fundação Oriente, que ali instalou a sua Delegação de Macau.

Rua do Tarrafeiro