Istmo de Ferreira do Amaral

  O Istmo de Ferreira do Amaral estende-se desde a Praça das Portas do Cerco, a norte, até à Estrada do Arco, a sul. É uma artéria rectilínea, com 483 metros de extensão e uma largura de via entre 6 e 10 metros. Em 1869, a rua foi baptizada de “Istmo de Ferreira do Amaral” em homenagem ao governador Ferreira do Amaral, assassinado por um bando chinês. Em 1574, no 2º ano do reinado do imperador Wanli, da dinastia Ming, o governo imperial mandou construir uma torre em arco, de estilo chinês, no istmo que liga a Península de Macau à China continental, para demarcar as respectivas jurisdições e também como medida defensiva. No início de 1870, a administração portuguesa de Macau demoliu esse arco pela força e construiu em seu lugar uma torre fronteiriça, que chegou até nós, na forma de um arco do triunfo, implantado um pouco a norte do arco demolido. Actualmente, o edifício administrativo da Associação de Agricultores de Macau e a sua afiliada Escola Choi Nong Chi Tai (edifício do campus) situam-se à esquerda na secção sul da rua e o Jardim Triangular da Areia Preta situa-se no cruzamento da sua extremidade, a leste.

Istmo de Ferreira do Amaral