Travessa dos Mercadores

Situada no sul da Freguesia da Sé, a Travessa dos Mercadores, também conhecida em chinês por “Travessa das Dezoito Lojas”, estende-se da Rua de Camilo Pessanha até à Rua dos Mercadores. É uma rua de cimento rectilínea, na direcção Noroeste-Sudeste, medindo mais ou menos 123 metros de comprimento e perto de 2 metros de largura.
A primeira ocasião em que há registo da travessa foi no “Boletim Oficial do Governo da Província de Macau e Timor” de 26 de Julho de 1869. A formação desta travessa tem uma ligação muito estreita com os mercados, e o seu nome oficial em chinês, “Shangren (商人)”, tem um significado igual ao do nome português. A travessa ainda possui outro nome em chinês – “Dezoito Lojas”, que denota todos os sectores relacionados com a vida diária da população.
Devido ao desenvolvimento do comércio marítimo, Macau estendeu as suas artérias urbanas. As ruas formadas espontaneamente nos primeiros dias alargaram-se a partir dos cais de embarcação e das plataformas de descarga de mercadorias até ao interior das comunidades residenciais principais, na direcção perpendicular à orla costeira. Com a prosperidade do comércio, foram gradualmente construídas algumas vias novas na zona litoral do Porto Interior, sendo a Travessa dos Mercadores uma delas.
Segundo as informações existentes, a Travessa dos Mercadores desenvolveu-se muito cedo. No final da década de 1870, a travessa já se tinha tornado numa das ruas com maior densidade da zona do Porto Interior. Ainda permanecem, até hoje, algumas indústrias antigas na travessa, como por exemplo, as alfaiatarias, lojas de antiguidades e relíquias., bem como lojas de reparação de aparelhos electrodomésticos.

Travessa dos Mercadores